segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Isto é DIVINO !!!!!!

Tereza D'Avila !!!!!
Uma de minhas mentoras desde meus 19 anos.... só hoje compreendo perfeitamente o significado de tudo isso !!!!!
A melodia é linda, a letra, só podia ser dela mesma !!!!

                                                                    Nada Te Turbe



                                                                   Nada te espante


                                                           Quien a dios tiene nada le falta


                                                                    Solo dios Basta

De sentimento puro cantemos juntos munidos da mais sincera compreensão, para que tudo se encaixe em seus devidos lugares.....


Rio de Janeiro !!!!!!! Somos da Paz, Somos do Amor !!!!!

Esta foto foi tirada em tempo real !!!!!
De coração, peço aos Excelsos Seres de Consciencia Divina, que este sentimento se torne a tônica deste movimento contínuo de Respeito, Amizade e Amor.


Em homenagem ao "Cristo Redentor" que habita nossa "Cidade Maravilhosa " !!!!!!


quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Toda Forma de ser....assim, assim, assim....

Leveza,



Caminhos,



Quietude,



Liberdade com gentileza,

Toda Forma de Ser é isso.....também.

Começou bem...



Não entendi...



Acontece...



Tá indo...



Pois é, toda forma de expressão é Divina !


quarta-feira, 24 de novembro de 2010

A importancia de um AMIGO !!!! eu tenho e vc tem ?????



Esta é pra matar a saudade !!!!!




Adoro esta tbm !!!!

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Quando quase me tornei uma "Swamini”

Escrito por:  Margareth Gonçalves (Devi Dasika)





Comecemos então por entender o que significa esta palavra, Swami.

Swami é uma palavra que vem do sânscrito SWAMIN.


Esta palavra tem vários significados.


Estes significados variam desde D’eus em algumas tradições até simplesmente "senhor” para designar respeito a pessoas mais idosas.


Monges, Sacerdotes e Instrutores em alguns segmentos Iniciáticos também recebem este título, pois representam aqueles que já governam a si mesmos, como designa a palavra SWA que é igual a Eu Superior; sendo assim entende-se que eles tem o conhecimento de seus Eus Supremos.


Esses então estariam no seu quarto estágio de consciência humana.


Em algumas tradições por uma postura cultural, se outorga estes títulos a todo aquele que ingressa em suas seitas como um reconhecimento de suas vontades.


Historicamente, esta forma de tratamento vem sendo utilizada desde tempos imemoriais para designar aquele que tem a primazia em erudição, conhecimento ou até mesmo poder.


Quando reconhecemos uma pessoa como um “Swami”, ou seja, uma pessoa que trabalha no mínimo sua “quarta essência”, podemos chamá-los carinhosamente de “Swamiji” para os homens e “Swamini” para as mulheres, que é o diminutivo das respectivas palavras; assegurando sempre que este reconhecimento nunca vem de um aspecto de personalidade ou sexual e sim de um aspecto puramente Espiritual.


Um Swami sempre se veste com roupas da cor Laranja, pois esta cor significa o equilíbrio absoluto entre corpo e mente, categorias especificamente reinantes em nossa terceira dimensão onde habitamos em um corpo denso. Vejam aqui a importância do significado e respectiva responsabilidade daqueles que usam esta cor em suas vestimentas como representantes desta categoria de seres em nosso planeta, ainda que humanos mas já com uma porção relevante de Divindade se expressando através deles mesmos.


Existem várias tradições que trabalham com esta posição de seres, designando a todos eles posturas de vida social e particular diferentes, de acordo com seus respectivos trabalhos. Mas há também os caminhos e respectivas Escolas que não utilizam esta graduação como por exemplo, o Suddha Dharma Mandalam que é a Escola que eu represento, pois Ela trabalha a “Quarta e Quinta Essência” do aspecto do Ser dessa mesma consciência.


Em uma outra esfera de atuação, também pode acontecer de uma tradição reconhecer o trabalho e valor de outra e assim homenagear essa outra tradição com o oferecimento honorário de títulos de sua escola ou Segmento Espiritual, como de “Swamis” e “Acharyas”.


Foi o que exatamente aconteceu comigo !


Pelo reconhecimento de trabalhos realizados, recebi o título honorário de “Ashramacharya” pela Federação Internacional de Yoga, o qual aceitei e sou muito agradecida por este reconhecimento e carinho, já que “Acharya” é um Professor, Instrutor, Guru, graduações que eu já havia conquistado dentro mesmo do próprio Mandalam do Suddha Dharma, como também o de Gnana Dhatha que é áquele que adquiriu o conhecimento correto.


Também por esta mesma Federação Internacional, recebi de forma honorária o título de “Swamini”, título este que não aceitei, pois a escola em que atuo não reconhece este título, sendo que nosso caminhar nesta Instituição é graduada em 4 (quatro) níveis, sendo respectivamente: Dasas, Thirthas, Brahmas e Anandas.


No Mandalam do Suddha Dharma estes níveis de Brahma ou Ananda, implicam diretamente que sejam levados ao que chamamos de estado de “Brahmacharya”, que é um estado de poder, chamado Purusharta, que se alcança na culminação de cada grande estado de consciência sendo, a busca da prosperidade, “Artha”, a busca da felicidade, “Kama”, a busca da realização interna, “Dharma”, a busca da liberdade, “Moksha”, e a busca da transcendência, “Prapti” , que trabalha os quatro principais estados de consciência (quarta essência citada acima) e seus respectivos intermediários, os quais são a base do trajeto da consciência humana coletiva e individual em sua escala evolutiva até alcançar-se o Adeptado ou grau de o quinto estado de consciência (a quinta essência também citada acima).


Brahmacharya é uma palavra composta do idioma sânscrito que quer dizer Brahm, que é D’eus e Acharya que quer dizer, sábio servidor.


Em suma, Brahmacharya é o estado em que através do reto cumprimento dos deveres e responsabilidades no processo do mundo e do desapego ao resultado de seus atos, o indivíduo alcançou total puificação da sua natureza física, percepcional, mental e emocional, tendo se qualificado para ser um sábio servidor ou um perfeito instrumento para a realização da Obra Divina no mundo.


Assim, o “Brahmacharya” tem necessariamente a condição da castidade que é “a virtude reguladora da natural inclinação para os prazeres sexuais”, podendo ser celibatário ou não, já que celibatário quer dizer literalmente “o estado de solteiro”. No ângulo da chamada moral, Brahmacharya quer dizer, o puro de pensamentos, de palavras e de obras.


Um “Brahmacharya” também trabalha seus aspectos de:


_ Sannyasa ou Abhyaga-yoga, que significa renúncia, desprendimento, abnegação e etc.... ou convergência dos sentidos.


_Tyaga, Vairaga ou Shama que é o completo desapego ao fruto da ação, com a devida dedicação deste à Divindade.


_ Yoga, que quer dizer “Síntese”, que por sua vez é o Glorioso Poder de Criar, Preservar e Reintegrar. Técnicamente é a plenitude alcançada pela correta execução dos atos, desapegado do resultado e dedicação dos mesmos à Divindade.


Sómente a D’eus, o “Brahmacharya” está apegado por devoção !!!!!!


O mais bonito de tudo isto, é que há diversos caminhos e em cada um destes caminhos inúmeras possibilidades que nos enriquecem até nos definirmos como totalmente preenchidos do Amor em D’eus .


Isso é Maravilhoso !!!!!!


Fui e continuo sendo FIEL a minha tradição, mas reconheço e evidencio a Grandiosidade, Benevolência, Verdade e Generosidade também das outras Escolas, Tradições e Segmentos que são em suas potencialidades formadoras de seres altamente reconhecidos e capacitados na realização do Amor e da Felicidade.


Nesta manifestação, eu me esforço para cumprir meu Dharma com realeza e simplicidade, objetivando internamente a conquista de um estado de Bem- Aventurança de Ser (Ananda).

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Eu gosto da marca Miu Miu....

E você ?

Miu Miu é da "Prada" !!!!! aliás, só podia ser messsmo......




 
 


 

 







 







 

                   

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Eckhart Tolle & Krishnamurti









Maravilha !!! Ouçam com a necessária atenção.....

Eckhart Tolle,

Depois de se formar pela Universidade de Londres, tornou-se pesquisador e supervisor da Universidade de Cambridge.
Quando tinha 29 anos, uma profunda transformação espiritual dissolveu sua antiga identidade e mudou o curso de sua vida de forma radical.
 Os anos seguintes foram dedicados ao entendimento, integração e aprofundamento desta transformação, que marcou o início de uma intensa jornada interior.

As influências das quais são aludidas ao livro "O Poder do Agora" são as escritas de Meister Eckhart, Advaita Vedanta, "Um Curso Em Milagres" e o Lin-chi de Budismo Zen (Rinzai), uma "alquimia interior" descrita em religiões do oriente médio.
 O livro também interpreta declarações de Jesus da Bíblia e o apelo ao estado de graça, pela misericordia divina, descrita pelo Apóstolo Paulo em suas cartas.
 Seu último bestseller foi "A New Earth" e seu mais novo livro é "Despertar da Consciência".
Eckhart Tolle não está alinhado com qualquer religião particular ou tradição.

Fonte: Wikipédia






quarta-feira, 17 de novembro de 2010

As Deusas do Espaço Mítico

A meditação com as Mahavidyas





Neste workshop vamos compreender a importância da força feminina para o sucesso com a meditação, segundo a visão da cultura Natha. Faremos uma fundamentação teórica acompanhada de abordagem vivencial das dez deusas conhecidas como "Mahavidyas", aspectos poderosos da grande Shakti Durga. A correta compreensão do papel dessas deusas dentro de nós assegura uma vida mais intensa e perfeita - protegida contra o falso e o efêmero.





DATA E HORÁRIO: 27 de Novembro de 2010 (sábado), das 14:00hs às 17:30hs.

INVESTIMENTO: R$ 60,00 (sessenta reais)





Vagas Limitada - Faça Já a sua Inscrição...
Instituto de Cultura Hindú "Naradeva Shala", fone: 3862 7321





PROFESSOR: CARLOS EDUARDO GONZALES BARBOSA

Mineiro de Juiz de Fora, dedica-se ao estudo das Culturas da Índia desde 1972. Cursou Sânscrito na Universidade de São Paulo. Dá aulas de língua sânscrita e de Culturas da Índia para professores de Yoga desde 1982, no Centro de Estudos de Yoga Narayana, em São Paulo e faz parte do corpo docente do Instituto Naradeva Shala.

Ministra cursos e palestras sobre temas relacionados à Índia, ao Hinduísmo e ao Yoga. Em 2007 coordenou a edição do número especial sobre Hinduísmo da revista "História Viva" e foi co-autor do "O Livro de Ouro do Yoga" lançado em 2007 pela Ediouro.

No momento dedica-se à difusão do Sânscrito como língua para conversação (laukika samskritam) e à tradução de textos da tradição Natha. É coordenador do Portal Yoga Fórum, de INFORMAÇÕES SOBRE YOGA E CULTURA SÂNSCRITA - www.yogaforum.org

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Suddha Dharma Mandalam

Ashram "Sanat Kumara" de Baurú/ SP.

O responsável por este Ashram é Hélio Requena, reconhecido pelo Mandalam do Suddha Dharma como Gnana Dhatha.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Suddha Dharma Mandalam

Pessoas,
"Nalini" é uma Dasa do Suddha Dharma da Espanha que é conhecida como "Sanatana Dharma"!!!!!
Vamos prestigiar !!!!!











Suddha Dharma Mandalam

Este Ashram é na Índia em Hiderabhati !!!!

O responsável de lá atualmente é Sri Jagamohana Apthabharatha reconhecido Acharya pelo Mandalam do Suddha Dharma.



Sanjay (Dasa do SDM)

Realizando um Puja no Ashram na Índia


Sri Jagamohana Apthabharatha
 



Suddha Dharma Mandalam

Ashram "Atma Dharma"  em  Santiago/ Chile !!!

O responsável por este Ashram é Antonio Arias que é reconhecido pelo Mandalam como Gnana Dhatha.

Suddha Dharma Mandalam

Ashram "Sarva Mangalam" em São Paulo/ Capital !!!

Os responsáveis por este Ashram são Margareth Gonçalves e Erick Schulz reconhecidos pelo Mandalam como Gnana Dhatha.



Suddha Dharma Mandalam

Ashram "Vidyalaya" em Santiago/Chile !

O responsável por este Ashram é Arturo Castro que é reconhecido pelo Mandalam como Gnana Dhatha.



Entrada

Sala de estudos



Ashram


Suddha Dharma Mandalam

Para conhecermos mais !!!!

Ashram "Subramaniananda" em Ribeirão Preto/SP.

Sob a responsabilidade de Sergio Barreto e Telma  Jabáli  Barreto que são reconhecidos pelo Mandalam como Gnana Dhatha.



Sede


Templo campestre construído em 1983, em Batatais /SP
Reinaugurado em Outubro de 2003