sábado, 30 de março de 2013

Páscoa !!!!


O que dizer da Páscoa ?
Ressurreição ? Esperanças ? Renascimento ? Renovação ?

Não sei !!!!!

Em plena metade de Kali Yuga, ainda tem quem reverencie este Avatara na cruz !
Em plena metade de Kali Yuga, não entendemos a mensagem deste Grandioso Ser !
Em plena metade de Kali Yuga, não se respeita as diferenças !
Em plena metade de Kali Yuga,  se faz guerras em nome D'ele !
Em plena metade de Kali Yuga, usam esta imagem pra justificar atos pessoais !
Em plena metade de Kali Yuga, não entendemos suas atitudes !
Em plena metade de Kali Yuga, não usamos nada do que Ele ensinou !
Em plena metade de kali yuga, ainda somos os mesmos de outras manifestações !

Vejo uma sociedade corrompida, injusta, desrespeitosa, dogmática, separatista, julgadora (posso até estar fazendo isto agora), falsa, hipócrita e assim por diante.....

E aí como no Natal, todos viram irmãozinhos ?

Bíblia sob os braços não adianta de nada !
Gritar os versículos decorados muito menos, mesmo por que não foi Ele que os escreveu !!!!
Precisamos de atitudes Crísticas !
Pensamentos Crísticos !
Sentimentos Amorosos !
Respeito pelo que somos !
E em nome D'ele agir com AMOR exatamente como Ele fez e faz.....

Minha mensagem de Páscoa :

Ressurreição SIM ! Esperanças SIM ! Renascimento SIM ! Renovação SIM !

Mas na PAZ, no AMOR, na SAGRADA COMPREENSÃO, na IRMANDADE.....
(Pelo menos foi isto que aprendi com o Cristianismo.....a muito tempo atrás.....)

Deixo aqui meus cumprimentos a TODOS os seres VISÍVEIS E INVISÍVEIS, deste ou de outros planos de evolução que fazem parte deste TANTRA Divino de BRAHM:

EU SOU TU
TU ÉS EU
NÓS SOMOS OOOMMMMMMM

SHANTI, SHANTI, SHANTIHI....
OM, TAT, SAT.....
NAMASKARAM,

OM NAMAHA SRI PARAMA RISHIBHYO YOGUIBIAHA
SUBHAMASTU SARVA JAGATAM





sexta-feira, 29 de março de 2013

O QUE É UM GURU ?


Esse texto foi escrito por Jonas Masetti no site satsangaonline.

Afinal de contas o que é um Guru ?

o que é um guru


“Guru” é uma palavra popularmente utilizada no mundo, porém, seu significado original poucos conhecem, e por isso somos constantemente surpreendidos sem saber o que esperar deles.


“O que é um guru? O turbante laranja?”
No mundo espiritual essa palavra possui duas utilizações populares:

1 – Utilizamos a palavra guru como sinônimo de “guia, mestre ou professor”. Então dizemos que essa pessoa é um guru ou um mestre no sentido que dá orientações e ensinamentos de vida. E em muitos casos é considerado como um título, ou até visto como uma profissão.

2 – O segundo significado é de uma pessoa com uma benção especial, capaz de prever o futuro, curar doenças ou qualquer outra capacidade fora do normal. Nesse caso a palavra guru se iguala ao nosso entendimento de uma pessoa “santa” ou especial. Esse significado se estende mesmo fora da espiritualidade, então vamos ter o “guru da bolsa”, “guru das compras” e assim vai.

Apesar de usarmos a palavra guru com esses significados e não precisarmos mudar nossa forma de se comunicar, conhecer o significado original pode elucidar outras questões que aparecem no nosso relacionamento com os “gurus” desse mundo.

Primeiramente vamos esclarecer que “guru” não é uma profissão. É apenas uma palavra que expressa o relacionamento de duas pessoas, assim como “pai, amigo, ou filho”. E, portanto, o uso da palavra guru, ou equivalente como um título que define uma pessoa, do ponto de vista da tradição, não é o mais apropriado. O guru para uma pessoa pode ser uma amigo para outra, a verdade é que o papel de “guru” é algo que aparece naturalmente devido à natureza desse conhecimento. Se não fosse a peculiaridade do conhecimento que estamos almejando, poderíamos dizer que a palavra professor seria mais adequada para se referir a alguém que se propõe a ensinar sobre autoconhecimento e vedanta. Entretanto existe algo de especial com esse tema e papel que dá razão a esse nome “guru“.


Não é nenhum poder mágico específico, apenas o fato de que o autoconhecimento é algo precioso e que não pode ser descoberto sozinho. Sendo preciso alguém que abra essa porta para gente, essa pessoa recebe esse nome especial “guru“. Nada mais é do que um professor, cujo tema de ensino é o autoconhecimento.


Podemos tentar, afinal de contas é o que todos fazemos. Depois de tentar bastante e de boas orações temos a oportunidade de escutar e apreciar um fato interessante. Existem disponíveis para nós dois tipos de conhecimentos no mundo. O conhecimento de objetos externos, que são diferentes de nós e o conhecimento do sujeito, aquele que vê, escuta e age.

Com o primeiro dos dois estamos bem acostumados a lidar. Aprendemos certas coisas sozinhos, outras por acaso nos deparando com uma situação ou objeto, e ainda outras que, apesar de sabermos que é possível alcançar sozinhos, não dispensamos o uso do professor como o sânscrito ou a matemática.

Já o conhecimento do sujeito, quanto mais exploramos, mais percebemos que não conhecemos nada e não temos acesso a informação. Achamos que estamos progredindo explorando emoções, situações do passado e experiências na meditação. Porém, depois de um tempo, entendemos que emoções também são objetos e as situações são diferentes de nós. De certa forma até parece que esse é o nosso problema nos associamos a coisas e não conseguimos estabelecer uma identidade independente dos objetos a nossa volta. Essa confusão entre sujeito e objetos é algo muito natural, porém toda experiência requer a divisão entre sujeito e objeto e por isso podemos dizer com segurança que tudo que experienciamos é diferente de nós, seja através do sonho, na meditação ou do estado acordado.

Assim a má notícia é que o “eu” não pode ser investigado sozinho, ou através de nenhum meio de experiência, em outras palavras não temos um meio de conhecimento disponível para ele.

E a boa notícia é que não é um beco sem saída. Embora os nossos olhos possam ver tudo nessa criação com exceção de si mesmos, os olhos podem ser vistos pelos próprios olhos, através de um espelho. Em outras palavras é cabível que exista um meio de conhecimento para o sujeito que não está disponível para ele em primeira mão.

Os Vedas e mais precisamente sua parte final chamada de Vedanta tem como propósito ser esse meio de conhecimento. E o processo de estudo de acordo com o próprio texto requer um professor que tenha passado pelo processo, certo preparo do estudante e uma vida de yoga, que inclui valores e a saúde do corpo e da mente.

Tendo entendido a natureza desse conhecimento e o papel do professor no processo, podemos então eliminar o segundo uso popular da palavra guru, ou seja, do guru como alguém que possui um poder paranormal. De acordo com a tradição védica o guru é apenas o professor que com auxílio dos Vedas revela a natureza do “eu” para os alunos. Apesar de ser possível que o guru tenha realmente alguma benção causadas por uma vida de orações e asceses, se ele realmente for um guru sua preocupação em se mostrar como uma pessoa normal não deixará ele promover sua imagem através dessas capacidades. Afinal de contas isso seria um obstáculo para o aluno. Se o aluno tem que aprender e seu interesse é pelo conhecimento, é importante encontrar alguém que tenha uma vida parecida com a dele e que possa ajudá-lo a transpassar os obstáculos, e não um homem santo vestido de laranja em uma caverna que traria a idéia que esse conhecimento é algo intangível. Quando o professor ou guru é uma pessoa tangível na nossa frente talvez ele não seja tão inspirador como um homem santo com super-poderes, mas não existe melhor maneira de aprender do que com alguém igual a nós, que mostre como é possível cruzar essa jornada, sem passes de mágica.

Existem muitos aspectos que constituem a relação entre guru e shishya, ou mestre e discípulo dentre elas: a relação de confiança criada, a entrega do ego, as inevitáveis projeções emocionais, a observação dos valores e muitos outros ensinamentos que nascem da própria convivência. Tudo isso junto forma o ambiente necessário para transmissão do conhecimento de forma efetiva. Como esse ambiente é algo precioso, o professor em geral sempre toma certos cuidados, que quando estão faltando não são bons sinais.


 Preocupação demasiada com “namaskaram” (saudações) ou algum tipo de tratamento especial, mostrando que o professor tem alguma necessidade de afirmação através do aluno ou simplesmente quer se colocar como superior a ele.

 Criação de dependência psicológica ou emocional, com muitos elogios desnecessários ou onde o aluno não fica a vontade de parar de estudar sem decepcionar o professor. A relação guru shishya é baseada na liberdade e não em uma regra de conduta onde “você agora não pode ler nenhum livro ou ouvir nenhum professor que não seja eu!”.

 Aulas não são cobradas adequadamente, ou muito caras ou muito baratas. O dinheiro é símbolo do nosso esforço e suor é importante que o professor e o aluno valorizem as aulas com um valor justo e que essa não seja uma questão constantemente em pauta.

 Troca de papéis onde o professor cria relações afetivas com alunos(as), problema esse que é agravado quando o professor é um renunciante ou swami, ou seja, fez um voto de não ter relacionamentos. Muito da troca entre professor e aluno é baseado no fato de que o professor é alguém neutro, no momento que se cria uma relação afetiva seja através de sexo, ou uma atenção desproporcional, existe uma quebra natural desse papel e o rompimento do fluxo de conhecimento. Dependendo da situação é possível se reestabelecer uma nova relação, mas muitas vezes ocorre um trauma com o colapso da personalidade.

 Como o processo de estudo requer a escolha do estudante, o convite forçado por parte do professor para alunos assistirem suas aulas também vai de encontro com o processo de aprendizado. Em geral a regra é “não estude com quem te convida!” o professor apenas se coloca disponível a iniciativa é de quem tem o interesse em aprender.

E por fim, se pararmos para analisar, esse conhecimento é apenas recebido por nós, não temos nada a adicionar a ele, somos apenas mais um canal que repassa o que foi aprendido para frente. Assim a verdade é que ninguém pode clamar pela sua autoria e é por isso que os professores tradicionais não se apresentam como gurus e sim como discípulos. Essa tradição de conhecimento apresentada pelos Vedas é formada por discípulos e não por “gurus”. O único guru é o próprio criador que entrega os ensinamentos na mão dos Rshis no início de cada ciclo da criação e fala através de cada um de seus discípulos.

Dos versos da tradição que falam sobre guru e o seu papel, esses dois se conectam bem com as explicações dadas.

गुकारस्तु अन्धकारो वै रुकारस्तन्निवर्तकः ।

अन्धकार-निरोधित्वात् गुरुरित्यभिधीयते ॥

A sílaba “gu” significa a “escuridão” e “ru” o “removedor da escuridão”, devido ao fato de ser o removedor da ignorância, (esse que a remove) é chamado de “guru“.

अज्ञानतिमिरान्धस्य ज्ञानाञ्जशलाकया

चक्षुरुमीलितं येन तस्मै श्री गुरवे नमः

“Saudações ao guru que remove a ignorância, como o médico que remove a catarata dos olhos.”


quinta-feira, 28 de março de 2013

domingo, 24 de março de 2013

VAMOS ABUSAR DESTE PRODUTO





Nunca coloque sua banana na geladeira!
Isto é interessante.
Depois de ler isto, você nunca vai olhar para uma banana da mesma maneira novamente.

A banana contém três açúcares naturais - sacarose, frutose e glicose, combinados com fibra. A banana dá uma instantânea e substancial elevação da energia.

Pesquisas provam que apenas duas bananas fornecem energia suficiente para um treino de 90 minutos extenuantes. Não é à toa que a banana é a fruta número um dos maiores atletas do mundo.

Mas energia não é a única forma de uma banana poder nos ajudar a manter a forma. Pode também nos ajudar a curar ou prevenir um grande número de doenças. Tornando-se uma obrigação adicionar a banana à nossa dieta diária.

Descrição: http://2.bp.blogspot.com/-6Hwa1FwqUmQ/TbWy-ODcP0I/AAAAAAAAAAc/CpO2gBTkHPw/s1600/sexo-banana-cortada-3.jpg

Depressão: De acordo com recente pesquisa realizada pela MIND, entre pessoas que sofrem de depressão, as pessoas se sentiam melhores após ter comido uma banana. Isto porque a banana contém triptofano, um tipo de proteína que o corpo converte em seratonina, reconhecida por relaxar, melhorar o seu humor e, geralmente, fazem você se sentir mais feliz.

TPM Esqueça as pílulas - coma uma banana. A vitamina B6 regula os níveis de glicose no sangue, que podem afetar seu humor.

Anemia: contendo muito ferro, bananas estimulam a produção de hemoglobina no sangue e ajudam nos casos de anemia.

Pressão Arterial: Este fruto tropical é muito rico em potássio, mas reduzido em sódio, tornando-a perfeita para combater a pressão alta. Tanto é assim, que a Food and Drug Administration nos Estados Unidos, permitiu que a indústria da banana oficialmente informasse ao publico, que ao comer essa fruta, ela poderá reduzir o risco de pressão alta e infarto.

Descrição: http://loja.mundoeva.com.br/img/p/14-54-large.jpg

Cérebro: 200 estudantes da escola Twickenham na Inglaterra tiveram ajuda nos exames este ano, comendo

bananas no café da manhã, lanche e almoço em uma tentativa de elevar sua capacidade mental. A pesquisa mostrou que o elevado teor de potássio na banana, pode ajudar a aprendizagem, tornando os alunos mais alertas.

Constipação: com elevado teor de fibra, incluir bananas na dieta pode ajudar a normalizar as funções intestinais, ajudando a superar o problema sem recorrer a laxantes.

Ressaca: uma das formas mais rápidas de curar uma ressaca é fazer uma vitamina de banana, adoçado com mel. A banana acalma o estômago e, com a ajuda do mel aumenta os níveis de açúcar no sangue, enquanto o leite suaviza e reidrata o sistema.

Azia: têm efeito antiácido natural no organismo, por isso, se você sofre de azia, experimente comer uma banana para aliviar.

Enjôo matinal: comer uma banana entre as refeições ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue elevado e evita as náuseas.

Picadas de mosquito: antes do creme para picada de inseto, experimente esfregar a zona afetada com a parte interna da casca da banana. Muitas pessoas acham excelentes para reduzir o inchaço e a irritação.



Nervos: Bananas são ricas em vitaminas do complexo B que ajuda a acalmar o sistema nervoso.

Excesso de peso e no trabalho? Estudos do Instituto de Psicologia na Áustria mostram que a pressão no trabalho leva à excessiva ingestão de alimentos como chocolate e biscoitos. Estudando 5000 pacientes em hospitais, pesquisadores concluíram que os mais obesos eram os que mais sofriam de pressão alta e ataques de ansiedade. O relatório desse estudo, concluiu que: para evitar que comamos biscoitos e doces quando estamos ansiosos, então é necessário que se coma alimentos ricos em carboidratos a cada duas horas para manter níveis estáveis de açúcar no sangue, e é aí que entra a nossa querida banana.

Úlceras: A banana é usada na dieta diária contra desordens intestinais pela sua textura macia e suavidade. É a única fruta crua que pode ser comida sem desgaste em casos de úlcera crônica. Também neutraliza a acidez e reduz a irritação, protegendo as paredes do estômago.

Controle de temperatura: Muitas culturas vêem a banana como fruta 'refrescante', que pode reduzir tanto a temperatura física como emocional de mulheres grávidas. Na Tailândia, por exemplo, as grávidas comem bananas para os bebês nascerem com temperatura baixa.

Seasonal Affective Disorder (SAD): a banana auxilia os que sofrem SAD, porque contêm a vitamina B6 e Triptofano, que nos acalma e nos faz ficar bem humorados.

Fumar e Uso do Tabaco: As bananas podem ajudar as pessoas que tentam deixar de fumar. Vitaminas - A, B6 e B12, assim como o potássio e magnésio, ajudam o corpo a recuperar dos efeitos da retirada da nicotina.

Stress: O potássio é um mineral vital, que ajuda a normalizar os batimentos cardíacos, levando oxigênio ao cérebro e regula o equilíbrio de água no corpo. Quando estamos estressados, nossa taxa metabólica se eleva, reduzindo os níveis de potássio que podem ser reequilibrado com a ajuda da banana, que é rica em potássio.

Infarto: de acordo com pesquisa publicado no New England Journal of Medicine, comer bananas como parte de uma dieta regular, pode reduzir o risco de morte por enfarto em até 40%!

Verrugas: os interessados em alternativas naturais juram que se quiser eliminar verrugas, pegar um pedaço de casca de banana e colocá-lo sobre a verruga, com o lado amarelo para fora. Segure cuidadosamente a casca no local com esparadrapo!

Assim, a banana é um remédio natural para muitos males. Quando você compará-lo com uma maçã, tem quatro vezes mais proteínas, duas vezes mais carboidratos, três vezes mais fósforo, cinco vezes mais vitamina A e ferro e o dobro das outras vitaminas e minerais. Também é rica em potássio e é um dos alimentos mais valiosos para nossa saúde. Então talvez seja hora de mudar essa frase em inglês, tão conhecida: 1 apple a day, keep the doctor away, e que nós traduzindo deveríamos usar: "Uma banana por dia mantém o doutor sem freguesia!"

PASSE PARA OS AMIGOS
PS: Bananas devem ser a razão pela qual os macacos são tão felizes o tempo todo! Vou acrescentar uma dica aqui; quer um brilho rápido nos sapatos? Pegue a parte de DENTRO da casca da banana e esfregue diretamente sobre o sapato... Passe após, um pano seco. Fruto incrível!

quarta-feira, 20 de março de 2013

Sara Accioly - Chocolatière

Queridos amigos,

Vejam só este site de chocolates simplesmente MARAVILHOSOS !

Sara Accioly é uma querida amiga, linda mulher e excelente Chocolatière !
Em breve também teremos essas preciosidades no Naradeva Shala ! Aguardem !

Pra vocês chocólatras, tá de bandeja, confiram.....
http://saraaccioly.com/book/catalogo.html


terça-feira, 19 de março de 2013

Desabrochar-se !!!!


De hora em hora, qual desabrochar-se de uma flor,
A verdade e sempre a verdade se revelará;
Que pode o sol empalidecer e as estrelas apagar-se,
Mas a LEI DO BEM permanecerá.
Ela refulge em esplendore cresce em influência,
Segundo se expande o lento trabalho da Natureza,
Desde os minúsculos zoófitos até os SERES excelsos,
Ao longo de milhões e milhões de séculos.

(C. W. Leadbeater)


domingo, 17 de março de 2013

Este é meu mantra e do Iná !!!!


 Saudações,

 Espírito de Luz!


 Seu Nome é Verdade!


Você quer fazer algo para cessar o maltrato a natureza, aos animais, aos seres humanos, etc.?


 Compartilhe e cante este mantra!




quarta-feira, 13 de março de 2013

‎"Habemus Papam"


Que o Papa Francisco I seja guiado e orientado por todos os seres da Luz Divina !
Que ele seja feliz em suas escolhas !

Dharmameva Jayathe !!!!


quarta-feira, 6 de março de 2013

exploradores descubren lo que podría ser “el reino puro” de shambhala

Fonte:http://pijamasurf.com/2009/11/exploradores-descubren-lo-que-podria-ser-el-mistico-reino-de-shambhala/
http://pijamasurf.com/category/economia/

.El mítico reino espiritual de Shambhala o Shangri-la es un lugar en la tierra, al menos eso es lo que piensan un grupo de exploradores del valle de Mustang, en Nepal, que han descubierto un sistema de cuevas con pinturas y textos milenarios que podría ser la contraparte material de “la ciudad de los dioses”

La fascinación por civilizaciones ocultas consagradas con la naturaleza que disfrutan del paraíso en la Tierra, acaso dueñas de un secreto que les permite gozar apartadas del “mundanal ruido” y acercarse a la divinidad extravíada es parte inherente del misticismo planetario. Una de las más recientes versiones de este “valle de los bienaventurados” es Shangri-la. Popularizada en la novela de James Hilton y en la genial película de Frank Capra, Lost Horizon; probablemente una reconfiguración de leyendas tibetanas, de la morada de los maestros ascendidos, Shambala. Esta región o ciudad (Shambhala), generalmente ubicada en los Himalayas, oscilando entre el plano material y el plano etérico, es según la teosofía la capital espiritual de la Tierra, hogar de la Gran Hermandad Blanca y del regente del planeta, Sumat Kumara (o Rigden Djapo), máximo avatar del Logos. Asimismo, elusivo centro de las expediciones nazis de Rudolph Hess y Henrich Himmler en búsqueda de Agartha, la legendaria civilización subterránea o “Hollow Earth”, y los secretos de la religión prebudista, Bön.

091117-02-shangri-la-secret-cave-skull_big

Un grupo de exploradores liderados por el experto de los Himalayas, Broughton Coburn, ha descubierto una serie de ciudades cuevas con una posible antiguedad de seis mil años en la región de Mustang, en Nepal. Está región, cubierta de nieve la mitad del año, es generalmente de acceso restringido pero Coburn y su expedición financiada por National Geographic lograron acceder a la zona donde encontraron una serie de pinturas murales y textos sagrados del siglo XIV con representaciones gráficas conocido como “iluminaciones”.

091117-03-nepal-shangri-la-paintings_big

Coburn y su equipo han dicho que los textos, que contienen muestras tanto budistas como de la religión de Bön, podrían vincular al sitio con “los valles ocultos” del paraíso espiritual conocido como Shambhala, que en la novela de Hilton, es llamado Shangri-la, un lugar donde sus habitantes han hallado el elixir de la inmortalidad. Algunos académicos creen que Shambhala tiene una contraparte en el mundo material, de la misma manera que el mito de la Atlantis. Aunque evidentemente Coburn podría estar relacionando el mítico nombre de Shambhala y el popularizado Shangri-la, como un truco publicitario para promover su pelícla documental recientemente estrenada. La cuasieterna fascinación exploratoria desde los Argonautas hasta Indiana Jones.

El valle de Mustang es conocido popularmente como “el fin del mundo” por su inaccesibilidad y su imponente paraje.Según algunas leyendas existen varios túneles que dan acceso a Shambala. Sin embargo, tradicionalmente se ubican en la región de Shigatse.

09-11-18Mustang2

El místico y explorador ruso Nicholas Roerich supuestamente viajó al Tibet para reunir la piedra Chintamani a su piedra madre, una enorme joya, en el corazón de Shambala. Esta piedra, se dice, proviene de la estrella Sirius y es una especie de santo grial antes del santo grial. Esta es la leyenda de la piedra del cielo (la piedra de la cual tal vez se derive la piedra filosofal o lapis philosphorumm, capaz de convertir el cuerpo en oro espiritual), entregada al señor de Shambhala, lord planetario en el asiento de las nubes:

“Through the Stars I come. I bring the chalice covered with the shield.” (traduccción del sánscrito de una inscripción en la piedra Chintamani hecha por Nicholas Roerich)

nb_pinacoteca_roerich_s_portrait_of_nicholas_roerich_23

Esta historia tiene su anverso oscuro, ya que se dice que Roerich fue en su momento el líder de los Iluminati, y que la intención de la civilización de Sirius que entregó la piedra celeste, es implementar un gobierno planetario (lo que en algunos círculos se conoce como el nuevo orden mundial). El ojo en la pirámide impreso en el billete de un dólar es una representación de Sirius, el sol secreto, ojo de Dios en la galaxia (que de alguna manera también se entrecruza con la entidad conocida como Lucifer, Venus, el planeta más brillante y Sirius, la estrella más brillante).

Se dice que Roerich técnicamente no llegó a Shambhala, pero llegó a Shigates, a través de cuyas cuevas se puede acceder a Shambhala. El que este cerca podrá reconocer la ciudad del cielo en la tierra por una llama azul pura.

Según el actual Dalai Lama, nadie sabe ya donde está Shambhala, el conocimiento se ha olvidado.

domingo, 3 de março de 2013

Anaise Andrade, nossa Acharya Urvasi Dasika

Belíssimo trabalho !!!!
Parabéns !!!!
Vamos prestigiar !